Aos amantes

Na intimidade de fortuitos gestos existo. Há de se existir em vossas ternuras, na maneira que se olham, no encostar-se ávidos, no proposito do amor – promessas de dias vindouros. E eu sozinho a admirar a candura renascente dos que prezo, sim, chamo-os de amigos, à vossa ingenuidade brusca eu brindo, lhe escrevo rapidamente duas…

Nosso fardo

Se não há deus obriga-se a barganhar logo a vida por outra paixão Tão inexplicável quanto, tão indizível como Sim, só através da cálida ilusão, das mãos em concha Os joelhos rastejando em qualquer tipo de ventura Há de se continuar, de se expurgar, devidamente ou não, O fardo do peso, próprio de si, do…

Devaneio dum amor perdido

Me lembro só o nome, Debora, ou qualquer coisa assim Olha, estou tentando dormir, esquecer quem sabe tenha-a nomeado em minha insônia Contaria: Qualquer corte de cabelo, curto, quase um capacete, talvez castanho O corpo sedutor, algum ano a mais E importa? Era verão o que importa Uma arena de pedregulhos entre ciprestes Ou era…

Matriz

Em teus braços distintos, contudo, venho a ser E do constrangimento mortal da existência tu me tolhes Um afago à minha mortalidade, meus ossos afogados Nessa carne deprimente que sempre mais se tortura Venho a ser no teu cabelo crespo Entre os calos de tuas mãos Você recende óleo de coco e uma alma aprumada…

enjuvenescendo

Vê-se, como no curso jovial dos lábios, há um jovem tristeNo animo excêntrico dos gestos caricatos, há um jovem inerteVê-se na delicadeza de seus olhos riscados, há um jovem exaustoEntre os discursos messiânicose a ternura pelo mundo afora, há um jovem incrédulo dentroViu? Vê-se, mas obriga-se a desverO lesto de seus passos, a agilidade de…

ardor fluido

Fluiu-me uma mulher abstrata,entre minhas mãos de courosua voz ilógica, os seios filosóficose a mulher me era ideias, palavras e era a palavra de suas ideias e a dissonância de sua mente musical E á parede de minha anatomiasubia seu sussurro como uma hera, um manto de seduções noturnasE sua carne abstrata e inconstanteSeus olhos…

Soneto indeciso

Atrapalha-me um sentimento constanteNum caminho definido por vias perdidasQue neste andar fui moldado erranteOco do entusiasmo que detive na partida Quando a graça do introito se esvaiOh, perdição! Essa de murchar nas vicissitudes…Abismo de incerteza o senso extraiE o preço da descrença custa-me a juventude Porém, inda bruxuleia-me tepidamente a vela do avançoAo refletir na…

Tempo

O aguardo do certeiro é funesto⠀Valorize a esperança, mas não durma à espera dela⠀Se pode ser feito agora, que seja feito presto⠀Não deixe pra depois o apanhar da sua estrela⠀⠀Viva o Hoje, seu tempo é precioso⠀Moeda valiosa é essa do passado⠀Investimento caro, onde não há lucro para o ocioso⠀Não invista nunca em duvidas: Do ontem…

Não és o meu povo

Não és o meu povo.⠀Quando no almejo de ser alguém no vosso meio, reviraram os olhos ao ver que era algo novo, novidade – quantos anos você tem? Você é bem novo, mas já tem idade pra ter carteira, cadê seu carro novo, hein?⠀ Pois meu carro está nas despesas de casa, na luz que…

a mosca esfrega as patinhas

A mosca esfrega as patinhas ⠀para a carne moída do charuto⠀para o charuto decepado no cinzeiro⠀para a cinza caída do incenso de eucalipto⠀para as rezas feitas diante do incensário⠀para a fé da romaria dos simplórios⠀para as romarias que se atulham na entrada do banco⠀para as notas de cem, ⠀de cinquenta, ⠀de dez,⠀que detém na carteira…⠀⠀A…